derramepleural.com

patologia respiratória do tipo restritivo.

Quer receber mais informações sobre o derrame pleural? Subscreva a nossa newsletter.

Pleura

O sistema respiratório é composto pelos órgãos responsáveis pelas trocas gasosas de organismo com o exterior, existindo assim a respiração celular tão necessária para a vida humana. Dois dos constituintes desse sistema são os pulmões, sendo que é neles que existe a pleura, sendo que esta é uma membrana que envolve o pulmão para proteger o pulmão e ainda armazenar o líquido que servirá para a lubrificação dos movimentos do pulmão.

O que é a pleura?

A pleura é uma membrana que envolve o pulmão, sendo uma dupla membrana, em que no seu interior existe um espaço pleural, também chamado de cavidade pleural. Esta membrana é constituída por dois folhetos, sendo um deles a pleura parietal e o outro a pleura visceral. A pleura visceral é o folheto que cobre os pulmões propriamente ditos, enquanto a pleura parietal vai cobrir a parede costal da cavidade pelo seu interior. Estando associada à caixa torácica, esta está dividida em quatro zonas: pleura costal, sendo que esta envolve as faces internas da parede torácica; pleura mediastinal, que tal como o próprio nome indica vai envolver as faces laterais do mediastino; pleura diafragmática, esta irá cobrir a zona superior do diafragma; por último, a cúpula visceral que irá recobrir todo o pulmão.

Como dito anteriormente, existe um espaço entre na membrana chamado espaço pleural ou cavidade pleural. Esse espaço tem como função armazenar pequenas quantidades de líquido seroso, que mais tarde servirá para lubrificar e facilitar os movimentos necessários dos pulmões, a esse líquido dá-se o nome de líquido pleural devido à sua localização. Durante todo o processo respiratório é necessário que existam diferentes pressões a agir nos pulmões para existir a ventilação pulmonar, essas diferenças de pressões devem-se ao trabalho do espaço pleural.

Doenças

O líquido presente no espaço pleural tem também como função dar facilidade as duas camadas da membrana (pleura visceral e a pleura parietal) de se mover, ajudando assim a que os pulmões se movam suavemente dentro da caixa torácica. Contudo por vezes outras substâncias existentes no organismo podem-se armazenar nesse espaço pleural e causar infeções graves ou outras doenças, entre as mais variadas doenças, existem três que se destacam como sendo as mais graves e mais importantes, estas são: pleurisia, pneumotórax e o derrame pleural.

A pleurisia

A pleurisia trata-se uma inflamação na pleura, normalmente acontece quando um vírus ou bactéria contamina a pleura, causando uma inflamação nesta. Esta inflamação pode ser seca à qual se dá o nome de pleurite seca ou pode existir, em conjunto, uma transpiração de líquido dentro da cavidade pleural, um derrame pleural, independentemente de ser seca ou de ser acompanhada por um derrame pleural é importante que seja tratada o mais breve possível. Depois de tratada a inflamação existem dois cenários possíveis, num deles a pleura pode ficar com umas pequenas aderências, fazendo assim que as duas partes da membrana se colem entre si, no outro a pleura voltará à normalidade.

Derrame Pleural

O derrame pleural acontece quando existe uma acumulação excessiva de líquido no espaço pleural. Existem outras doenças que poderão originar esta acumulação de líquido, sendo que o líquido acumulado pode ter origens diferentes, sendo que as suas principais origens são: pneumonia, cirrose hepática, insuficiência cardíaca, pus, sangue, líquido com elevado teor em colesterol e líquido leitoso. Sendo que as ultimas quatro origens podem levar o diagnóstico para outra fase, ou seja, estes fatores só aparecem no espaço pleural quando existem outras doenças que causaram isso. Assim sendo quando se encontra: sangue (hemotórax), por norma existe um ferimento no tórax; pus (empiema) pode ter surgido após uma pneumonia ou um abcesso pulmonar se ter derramado no espaço pleural; liquido com elevado teor em colesterol acontece quando existe uma tuberculose ou uma artrite reumatoide, sendo que é o resultado de um derrame com algum tempo de evolução; líquido leitoso (quilotórax), este poderá ser causado por lesões nos canais linfáticos do tórax ou pela obstrução do canal causada por um tumor.

Pneumotórax

O pneumotórax é causado por uma grande acumulação de ar no espaço pleural, sendo que as causas deste acontecimento podem ou não ser detetadas. Assim sendo existem três tipos de pneumotórax, o espontâneo, o de tensão e o espontâneo complicado.

O pneumotórax espontâneo acontece normalmente a pessoas com menos de 40 anos, sendo que existe uma rutura de uma zona debilitada do pulmão. O pneumotórax de tensão acontece quando os tecidos por onde o ar penetra apenas servem para este entrar e não deixam que este saia, o que vai originar a acumulação de ar naquela zona, sendo que este é o tipo de pneumotórax com uma taxa de mortalidade mais elevada. Por ultimo, o pneumotórax espontâneo complicado sucede, essencialmente, quando há uma rutura de uma grande bolha e em pessoas com um historial extenso de doença pulmonar.